Concurso Cultural de Desenho, Pintura e Poesia: comissão julgadora avalia trabalhos enviados

A comissão julgadora do Concurso Cultural de Desenho, Pintura e Poesia, promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Sergipe – OAB/SE, analisou nesta sexta-feira, 14, mais de 150 trabalhos enviados conforme as cinco modalidades definidas no edital: Liberdade Religiosa, Gênero e Violência, Meio Ambiente, Proteção dos Animais, e Cidadania e Igualdade.

Para a integrante da comissão, fotógrafa e coordenadora do curso de Comunicação Social da Universidade Tiradentes, Valéria Bonini, o quantitativo superou as expectativas. “Participei da primeira reunião da equipe e não esperávamos tantos trabalhos. Isso é muito positivo porque essa iniciativa tem o intuito de dar estímulo para que essa garotada participe cada vez mais”.

Até o dia 30 de setembro, estudantes de escolas públicas municipais e estaduais do Estado, com faixa etária entre 6 e 18 anos incompletos, puderam enviar poesias, pinturas e desenhos relacionados às modalidades. O resultado do concurso cultural será divulgado em no dia 24 deste mês, no site da entidade, e a entrega dos prêmios e brindes será realizada no dia previsto para 11 de novembro.

Para a presidente da Comissão da Infância Adolescência e Juventude da OAB/SE, Glícia Salmeron, “o incentivo frequente à arte, uma manifestação de tudo o que o ser humano vê e vive, é imprescindível”. “É necessário compreender a maneira como as crianças e os adolescentes enxergam o mundo e saber a forma na qual eles vêem o outro”, considerou.

Integrante da comissão julgadora e representante das Academias de Letras de Aracaju e de Sergipe, Ilmara Souza, ressaltou a iniciativa como fundamental ao ser humano. “Essa é uma forma importante de agraciar as pessoas que desde a sua infância trabalham com as letras e as artes. Essa é uma atitude fantástica e é o papel das instituições. As pessoas precisam poetizar o mundo”, disse.

Para o também membro da comissão e artista plástico, Fábio Sampaio, a seleção dos trabalhos foi extremamente difícil. “São desenhos verdadeiros, sem nenhum vício de técnica que nós costumamos ver. Nós estamos nos desdobrando o máximo para escolher aqueles que têm mais originalidade, sendo essa iniciativa é essencial para descobrir talentos”, ponderou Fábio.

COMPARTILHAR