“A Conferência representa um marco para uma nova fase de ações”, afirma presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada

A presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada, Eduarda Mourão, defendeu nesta quarta-feira, 22, a indispensabilidade do fortalecimento da advocacia feminina de Sergipe. Durante a I Conferência Estadual da Mulher Advogada, Eduarda reafirmou a importância da união entre as mulheres para a construção cotidiana de uma sociedade equitativa e igualitária.

Segundo a presidente da Comissão, a união feminina é um caminho essencial para a equidade de gênero em todas as esferas da sociedade. Para Eduarda, a Conferência tem uma simbologia fundamental para o fortalecimento das advogadas do Estado. “O evento vai além do Plano de Valorização da Mulher Advogada porque representa um marco para uma nova fase de ações”.

Em sua fala, Eduarda enfatizou a atuação diária da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da OAB/SE e relembrou a importância da participação feminina nas ações da entidade; o papel essencial da mulher na OAB; e a influência das mulheres para o fortalecimento da cidadania.

Em seguida, o ex-presidente da OAB, Cézar Britto, colocou em discussão os desafios nos direitos da mulher sob a ótica da inclusão feminina no Estado Democrático de Direito. “Há uma diferença entre o dizer e o fazer. Embora a democracia seja um governo do e para o povo, as mulheres ainda são excluídas do Estado Democrático, assim como os negros e índios”, disse.

De acordo com Cézar, a exclusão da mulher na democracia se combate, sobretudo, com luta, além de medidas legislativas ou proposituras. “Nas lutas por igualdade, as mulheres podem encontrar parceiros nos homens, mas a luta preponderante é delas, porque é a mulher que é excluída dos cargos, da remuneração e até do próprio processo deliberativo do país”, afirmou.

COMPARTILHAR