“Não dá mais para suportar a ineficiência do governo nas políticas de segurança pública”, diz presidente da OAB/SE

Em entrevista coletiva, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Sergipe – OAB/SE, Henri Clay Andrade, asseverou nesta sexta-feira, 15, que o assassinato do cobrador de ônibus, David Jonhatan Barbosa, alvejado nesta quarta-feira, 13, durante um assalto, mostra a ineficiência, a omissão e a indiferença nas políticas públicas de segurança de Sergipe.

“A violência cresce a passos largos no Estado e o governo se releva ineficiente, sem qualquer política preventiva de segurança”, afirma. Indignado com abandono à população, o presidente da Ordem defende que a sociedade sergipana está insegura diante dos constantes assaltos. “A gritante violência culminou com o assassinato do cobrador, abatido sem qualquer reação”.

Segundo a Polícia Militar, três jovens entraram no ônibus, quando passava pelo Bairro Bugio, e um deles atirou em David, que não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. O episódio teve grande repercussão social e reação dos trabalhadores da categoria, que suspenderam o funcionamento do sistema de transporte coletivo de Aracaju durante toda a quinta-feira, 14.

“O governo tem que garantir uma política preventiva de segurança”, diz Henri Clay. “Apenas prender os criminosos não é solução. A preservação da vida deve ser a prioridade máxima. Não dá mais para suportar a indiferença e a ineficiência do governo nas políticas de segurança”.

COMPARTILHAR